O RETORNO DAS LOJAS FÍSICAS NO VAREJO DE MODA

Com a abertura gradual do comércio na maioria dos países, podemos sentir um pouco como as diferentes áreas estão vivenciando esse momento.O varejo de moda teve que passar por toda uma adaptação para a volta de vendas presenciais, incluindo controle de clientes e proibição de prova da peça. Mesmo com a volta das lojas físicas, as marcas continuam tentando se reinventar e se adaptar as novas demandas para passar por isso com o mínimo de dano possível.

A Armadillo, por exemplo, é uma marca carioca que passou a oferecer serviço de drive thru em quase todas suas lojas, com horário marcado e pagamento feito dentro do carro no estacionamento. Esse tipo de iniciativa ainda é muito válida, pois há uma grande parcela da população que nao se sente confortável em fazer compras em lojas físicas, e acabam preferindo compras online ou essas alternativas que possuem mais distanciamento.

Porém, segundo um relatório da equipe do Goldman Sachs, que analisou dados do consumo no país, as operações online já se mostram perdendo força no mercado. 
Mais especificamente, na área de moda, a demanda de aplicativos e sites tem diminuido à medida que as lojas desse setor estão sendo reabertas. 
Isso nos leva a crer que estamos retornando as atividades normais aos poucos,o que não significa que será um processo crescente e linear. As empresas precisam estar sempre muito atentas e preparadas para qualquer mudança que possa ocorrer no meio do caminho, sempre mantendo cuidados e buscando novas formas de relacionamento com o cliente.


Apesar da desaceleração do comércio online, temos que ter em mente que após tudo que a indústria vivenciou, a força das vendas eletrônicas ainda será grande no mercado em geral. A pandemia do Corona vírus foi um acelerador da digitalização do mercado e isso nos acompanhará por muitos anos.

Fontes: Fashion Network | Mercado & consumo.

NOVOS HÁBITOS DE CONSUMO

Com toda a situação que estamos vivendo no mundo inteiro, muitas mudanças estão acontecendo nas formas de relações pessoais, cuidados, higiene, e principalmente na forma de consumir. Estamos presenciando a luta de empresas para se manterem ativas e se reinventarem em meio ao isolamento social, porém o consumo diminuiu bruscamente e hoje tem uma perspectiva completamente diferente.

Empresas que não estavam completamente inseridas no mundo digital, passaram a correr contra o tempo para tentar manter seu negócio vivo. O consumo por e-commerce, que ainda gerava dúvidas e insegurança, passou a ser uma certeza e necessidade para todas as marcas. O consumo de bens não essenciais passou a ser muito mais pensado e avaliado pelos clientes.

Mas como ficará  consumo após tudo isso? Essa é a pergunta que todos tentam encontrar a resposta, mas em meio a crise, empresas buscam seu caminho na inovação e na criatividade em seus negócios,

 

Nos Estados Unidos, as lojas começaram a reabrir e já podemos notar o início de uma nova fase. Lojas, que antes faziam de tudo para atrair o cliente e mantê-lo dentro da loja, hoje se redobram para fazer o contrário.Marcas estão trabalhando com horário marcado de compra, controle do número de pessoas e ações para fazer com que o cliente passe o menor tempo possível dentro do espaço físico da marca.

Espaços de higienização e medição de temperatura já são quase que obrigatórios.

Empresas como Gap e Sephora não permitem mais experimentar seus produtos, mantendo banheiros e provadores fechados. A American Eagle adotou novos protocolos de dobra de roupas, para que os clientes possam ver os detalhes da peça sem tocá-la.

São algumas formas que as empresas acharam para voltar aos poucos as atividades, tentando aumentar o consumo, mas ainda com todas as preocupações e limitações necessárias. Essas medidas provavelmente se estenderão por um bom tempo e o consumidor está cada vez mais atento a importância e necessidade de cada compra. 

 

Nesse momento, a consultoria de imagem torna-se uma grande aliada do consumidor de moda e beleza, principalmente. A procura por serviços como análise de estilo, biotipo e análise de coloração tendem a crescer bastante por auxiliar nas compras de roupas, acessórios e maquiagens corretas. O autoconhecimento trabalhado na consultoria torna-se cada vez mais importante e necessário em um momento no qual as escolhas são baseadas apenas na nossa experiência de consumo e no que conhecemos sobre nós mesmos.

Fonte: https://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,lojas-reabrem-e-mudam-habitos-de-compra-nos-eua,70003312638

© 2019 por DB Design